0
Consultados
imóveis visualizados recentemente
Ver todos Sem Consultados
0
Imóveis favoritos
imóveis adicionados
Ver todos Sem Favoritos

Consórcio luso-francês investe 26

Chama-se Antas Build e é um dos mais recentes projetos imobiliários de luxo em construção na cidade do Porto, resultando de um investimento de 26 milhões de

Notícias Tudo o que necessita de saber sobre o sector imobiliário
Notícias
Voltar    \    Notícias
Consórcio luso-francês investe 26 milhões em projeto comercializado pela Réplica
31 jan 2020
Consórcio luso-francês investe 26 milhões em projeto comercializado pela Réplica
Chama-se Antas Build e é um dos mais recentes projetos imobiliários de luxo em construção na cidade do Porto, resultando de um investimento de 26 milhões de euros por parte do consórcio formado pela bracarense Tecnibuild e pelo grupo francês Legendre, com atividade também nas áreas da construção e energia.
 
 
A Tecnibuild e o grupo Legendre são os promotores do Antas Build, um edifício em construção no Porto com 98 apartamentos e preços a partir de 178.500 euros, que estará pronto a habitar em julho de 2021.

Localizado na Alameda da Antas, junto à famosa torre que alberga a Loja do Cidadão e com vista para o estádio do Dragão, este novo edifício com 98 apartamentos de diversas tipologias – desde T1 a "penthouses" T5 localizadas no último piso – tem data de conclusão prevista para julho de 2021.

 

A comercialização está a cargo da Réplica, que apresenta o projeto ao final da tarde desta quinta-feira, 30 de janeiro, numa sessão agendada para o recinto do FC Porto. A empresa imobiliária, no mercado há três décadas, apresenta apartamentos com preços a partir de 178.500 euros e garante que mais de 50% do empreendimento já está vendido.
 

Dispondo ainda de sete espaços para comércio e serviços e de duas caves destinadas a estacionamento, o Antas Build está "inserido numa zona residencial consolidada" na cidade Invicta, onde nos últimos anos têm sido construídos vários condomínios residenciais do segmento médio alto e alto.

 

Numa nota enviada à imprensa, a Réplica sublinha ainda o facto de o promotor imobiliário ter decidido "contrariar a atual tendência da escolha da Baixa, as zonas históricas da cidade do Porto e a zona envolvente ao cais de Gaia, [como destino de] investimento seguido pela maioria dos investidores nacionais e estrangeiros".


@ Fonte: Jornal de Negócios - 
www.jornaldenegocios.pt

Veja também